(065) 3028-3515      contato@betacellcenter.com.br    |   

Dia do Homem - 15 de Julho | A importância de cuidar da sua saúde

A saúde da mulher é objeto de estudo e curiosidade desde 1970. E por motivos culturais, elas sempre cuidaram mais do próprio bem-estar que os homens - que só começaram a ser alvos de campanhas relacionadas aos cuidados com a saúde um século depois, quando doenças fatais, como o câncer de próstata, atingiram a população masculina. 

Os aspectos que envolvem a saúde humana, especialmente a masculina, são provenientes de fatores fisiológicos, psicológicos, sociais, culturais ou ambientais, que exigem uma intervenção específica para atingir o pleno bem-estar. Do ponto de vista endocrinológico, condições como obesidade, diabetes, alterações do colesterol e/ou triglicerídeos (síndrome metabólica), andropausa (hipogonadismo), disfunção erétil, entre outras, devem ser lembradas com atenção ao tratar da saúde do homem. Vamos saber mais sobre algumas delas:

Síndrome metabólica: trata-se de um conjunto de fatores de risco, muitas vezes assintomáticos, que deixam o indivíduo predisposto a desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes. Os principais fatores de risco que compõem esse quadro são: excesso de gordura abdominal, baixo HDL (“bom colesterol”), altos níveis de gordura, glicose e pressão no sangue. Envelhecimento, sedentarismo, obesidade e predisposição genética podem agravar essa condição.

Disfunção erétil: problema que pode estar associado a doenças crônicas como diabetes mellitus, hipertensão arterial e obesidade. Por isso, é fundamental lembrar que a DE pode ser o primeiro sinal de que o homem está desenvolvendo alguma doença cardiovascular. Ao buscar ajuda médica, ele está prevenindo o infarto do miocárdio e até o acidente vascular encefálico (derrame).

Andropausa: Cientificamente chamada de DAEM (Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino), a andropausa decorre da deficiência de testosterona na corrente sanguínea. Entre os principais sintomas dessa condição estão a queda na libido, a dificuldade de ereção, o desânimo, o cansaço, as ondas de calor, o sono agitado, a perda de massa muscular, o excesso de gordura abdominal e até o enfraquecimento dos ossos (osteoporose). Diabetes, obesidade e sedentarismo são os  fatores de risco.  

Programas voltados para prevenção e tratamento das doenças mais prevalentes e específicas dos homens têm mudado a consciência coletiva deles em relação ao tema, mas ainda há muito por fazer, afinal, é uma mudança de comportamento em proporções estruturais. O desconhecimento deles a respeito do próprio corpo, a vergonha ou receio de buscar ajuda médica e até uma relação conturbada com o processo de envelhecimento são os combustíveis para o desenvolvimento de enfermidades que poderiam ser facilmente evitadas. O autocuidado não significa fragilidade, mas a falta dele pode significar, sim. Respeite-se, cuide de si mesmo!

Fonte: Medical Site

15 de Julho de 2019

Agende sua consulta!